Como ajudar

Dois Chimpanzés

Existem várias maneiras de ajudar o Projeto GAP:

1. Doação livre para a ONG Projeto GAP Brasil

A ONG brasileira, denominada Projeto GAP – Grupo de Apoio aos Primatas, mantém as atividades de divulgação no site e nas redes sociais, e promove o intercâmbio com representantes do GAP em outros países e outras partes interessadas, trocando informações e promovendo campanhas e ações de comunicação.

Para ajudar a manutenção dessas atividades, você pode doar a quantia que quiser fazendo um depósito direto na conta do Projeto GAP e enviando o comprovante para o e-mail projetogap@projetogap.org.br. 

DADOS BANCÁRIOS

Banco Bradesco

Ag.: 1992-5

C/c.: 26834-8

 

Projeto GAP – Grupo de Apoio aos Primatas

CNPJ: 08.545.333/0001-08

Escritório: Praça Isaac Oliver, 342 – 4° andar – Vila Campestre

São Paulo – SP – CEP 04330-130

Tel.: (11) 5564-9595 – Fax: (11) 5564-9596

 

2. Divulgue a causa!

A melhor maneira de contribuir com o trabalho do Projeto GAP é compartilhar para a sua rede as informações divulgadas em nosso site e redes sociais. Em outras palavras, junte-se a nós e seja um embaixador da causa, replicando informações e dados confiáveis, e fazendo esclarecimentos quando necessário. Todo o conteúdo divulgado em nossos canais pode – e deve – ser compartilhado livremente.

Facebook – https://www.facebook.com/gapproject/

Twitter – https://twitter.com/projetogap

Youtube – https://www.youtube.com/projetogap

E-mail – imprensa@projetogap.org.br 

 

Comumente o Projeto GAP é indagado sobre a possibilidade de visitação, trabalho voluntário e estágio nos santuários afiliados e sempre esclarecemos que:

Sobre visitação

Os santuários afiliados ao Projeto GAP no Brasil não são abertos à visitação pública. O propósito da sua existência é garantir a tranqüilidade dos grandes primatas e o seu bem-estar é a prioridade. Nos santuários, os grandes primatas sabem que podem confiar em seus tratadores e as pessoas que têm contato com eles ganham sua confiança dia a dia. Muitos chimpanzés que vivem nos santuários têm fortes traumas e perturbações psicológicas, e ficam muito estressados com a presença de pessoas que não conhecem (e que, naturalmente, não confiam), o que pode, inclusive, levar a acidentes.

Além disso, na legislação brasileira os santuários são classificados como mantenedores de fauna exótica e nestes não é permitida a visitação pública, diferentemente de um zoológico. Sobre reportagens e imprensa, esclarecemos que a entrada da mídia é estritamente controlada, com poucas pessoas de cada vez e em locais restritos, respeitando ao máximo a privacidade e condição de cada primata, situação muito diferente da permissão de visitação pública.

O Projeto GAP tem planos de montar um plano de visitas técnicas em parceria com os santuários para profissionais da área. Há planos de implementação dessa atividade e na ocasião as informações serão divulgadas em nossos canais de comunicação. 

Sobre estágios e trabalho voluntário

Os santuários afiliados ao Projeto GAP no Brasil não dispõem de um programa de trabalho voluntário em campo. Em 2019 foi feita uma primeira experiência de estágio e está em planejamento o estabelecimento de convênios com Universidades para novos estágios no futuro. Maiores informações serão divulgadas em nossos canais de comunicação.