Missão e visão

orangotango-missaoDo ponto de vista biológico, entre dois seres humanos pode haver uma diferença de 0,5% no DNA. Entre um homem e um chimpanzé a diferença é de apenas 1,23%. Tal proximidade é demonstrada pelo fato, por exemplo, de chimpanzés poderem ser doadores de sangue para humanos e vice-versa. Hoje também é conhecido que chimpanzés, bonobos e homens tiveram um ancestral em comum há dois milhões de anos.

Diante destes fatos, a exploração comercial dos grandes primatas em laboratórios, circos, espetáculos e zoológicos pode ser considerada como uma espécie de escravidão, lembrando o que o homem fazia com seus semelhantes considerados inferiores até pouco mais de um século atrás. E esta exploração é acompanhada de uma redução drástica do número de grandes primatas nas florestas africanas e asiáticas, seus habitats de origem, impactando todo o equilíbrio ambiental dos ecossistemas.

O GAP Brasil defende o direito dos grandes primatas viverem em liberdade em seus habitats. A partir do momento em que são privados desse direito e passam a ser vítimas de maus tratos, não tendo condições de serem devolvidos as florestas, a missão passa a ser oferecer a melhor qualidade de vida e bem-estar possível aos animais no regime de cativeiro. Nos santuários, os chimpanzés são tratados de traumas físicos – extração de dentes e mutilações – e psicológicos, estresse por viverem engaiolados e tem a chance de se recuperar, formarem grupos sociais e até reproduzir, como na natureza.

“Um chimpanzé não é um pet e também não pode ser usado como mero objeto de diversão ou cobaia. Ele pensa, sente, se afeiçoa, odeia, sofre, aprende e, inclusive, transmite seu aprendizado. Enfim, é como nós. A única diferença é que não fala, porém se comunica por gestos, sons e expressões faciais. Precisamos garantir seus direitos a vida e a liberdade”, explica Dr. Pedro, como é chamado o fundador do GAP Brasil e integrante do GAP Internacional desde 2006.

No Brasil, existe uma legislação avançada que protege a fauna nativa, porém não protege as espécies exóticas, que ficam a merce da cobiça e da crueldade dos homens que os adquirem com fins de exploração comercial. Uma das lutas do GAP Brasil é conseguir que a lei que protege a fauna brasileira seja estendida a toda a FAUNA MUNDIAL.

+ Notícias

Macacos embriagados são personagens comuns no folclore de diversas comunidades. Mas existem poucos exemplos comprovados do apreço desses animais pelo [...]

30/06/2015

Poucas semanas atrás, dois chimpanzés do Zoológico-Safari Sa Coma, de Palma de Mallorca, Espanha, foram assassinados. Ao fugir do seucativeiro e sem [...]

29/06/2015

Durante o debate nos Estados Unidos pelo destino de centenas de chimpanzés que o NIH (Instituto de Saúde Norte-Americano) anunciou [...]

24/06/2015

Dias atrás, ONGs Norte-Americanas publicaram notícias destacando a vitória que significa o fato do órgão oficial do país reconhecer que os [...]

17/06/2015

Não bastando as torturas a que tem submetido centenas de chimpanzés em centros biomédicos nos Estados Unidos durante meio século, [...]

09/06/2015

(da redação – ANDA)  Foto: Ian Redimond/Miden Pictures (http://www.nytimes.com/) Após usar uma colônia de chimpanzés na Libéria (África) por cerca de [...]

06/06/2015

Eu a conheci no Zoológico Bwana Park, no  Rio de Janeiro, que estava em vias de ser definitivamente fechado pela [...]

01/06/2015

Temos 55 chimpanzés no Santuário de Grandes Primatas de Sorocaba. De origem circense temos mais de 15 indivíduos. Se os [...]

01/06/2015

  Vietnamitas ricos estão provocando uma matança sem precedentes nas savanas africanas ao usar o pó de chifre de rinocerontes [...]

28/05/2015

O Projeto GAP – Grupo de Apoio aos Primatas” é uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, membro do [...]

28/05/2015