Notícias

Vídeo captura momento afetuoso entre mãe gorila e filhote recém-nascido

Postado em 22/06/2018


Reprodução | Express.uk

FAMÍLIA
O novo morador do santuário britânico Port Lympne Hotel and Reserve representa um marco que mostra que a reserva tem cumprido o papel de proteger espécies ameaçadas de extinção.

22/06/2018 às 13:30
Por Bárbara Alcântara, ANDA

Uma cena encantadora foi registrada por uma câmera em um parque de conservação da vida selvagem britânico, o Port Lympne Hotel and Reserve. Tamba, gorila da planície ocidental, amamenta o filhote recém-nascido.

Além de muito comovente, a imagem também mostra como o santuário tem ajudado a evitar a extinção de animais que estão em estado crítico. O bebê, que ainda não recebeu nome, é o sexto filhote que Tamba dá à luz.

Pode não ser um marco tão especial para a gorila sozinha, mas para os santuários da região, ambos parte da Fundação Aspinall, ele é o 140º animal a nascer sob os seus cuidados. Nos últimos anos, cerca de 80 gorilas foram devolvidos às florestas tropicais do Congo e do Gabão; com cada vez mais nascimentos, esse número só tende a aumentar.

É difícil ter uma precisão sobre a quantidade de gorilas que ainda habitam o planeta, porque eles estão em florestas tropicais, densas e remotas, como a floresta do Congo, na África. Mas as estimativas apontam para cerca de 50.000 gorilas, sendo que a destruição de habitats, a caça e a doença tiveram um grande impacto, reduzindo a população em mais de 60% nos últimos 25 anos.

O diretor da Port Lympne Hotel and Reserve, Simon Jeffery, explica em entrevista ao portal britânico Express que os gorilas das planícies ocidentais são uma das espécies com a qual eles têm mais afinidade, e eles têm um extremo orgulho de todo o trabalho que têm feito.

“Além de cuidar dos gorilas em nossos parques, também trabalhamos de perto com a Fundação Aspinall para protegê-los na natureza e, quando possível, reintroduzir os gorilas nascidos nos parques de volta ao seu ambiente natural”, ele conta.

A chegada do bebê ao santuário, tem deixado os cuidadores ainda mais orgulhosos de seu trabalho. Tamba embala o bebê indefeso em seus braços fortes, o abraça, e de vez em quando o carrega nas costas. E essa situação pode levar até três anos para mudar – já que é esse o período para desmamar um filhote de gorila.

Phil Ridges, chefe da seção de gorilas em Port Lympne, disse: “Estamos absolutamente emocionados. Tamba é uma adorável gorila e uma mãe experiente. Tanto Tamba quanto seu bebê estão se saindo muito bem ”.

Para a Fundação Aspinall, ter um programa de reintrodução de gorilas na África Ocidental é muito importante porque, além de salvar a espécie ameaçada, eles também ajudam a proteger outras espécies florestais.

“Não é só o que estamos fazendo com os gorilas, mas porque protegemos os gorilas, protegemos toda a floresta e, protegendo toda a floresta, protegemos todo o ecossistema. Então, fazer uma coisa incrivelmente difícil – introduzir os gorilas de volta à vida selvagem – tem um efeito colateral, por isso é de vital importância ”, finaliza Damian Aspinall, presidente da fundação.

Fonte com o vídeo: ANDA