Notícias

Ritt 1994-2018

Postado em 12/02/2019


(Save the Chimps)

Do Save the Chimps

Anunciamos com muito pesar a morte do nosso querido amigo Ritt, um chimpanzé doce e brincalhão, da família de Kiley. Ritt era conhecido por seu coração gentil, sua amizade confiável e suas muitas peculiaridades adoráveis. ​​

Ritt nasceu em 13 de janeiro de 1994 (sua mãe foi Frieda e seu pai, Alvin) na Fundação Coulston, um extinto laboratório de pesquisa em Alamogordo, Novo México. Ele passou apenas uma hora com sua mãe antes de ser levado para o berçário de laboratório para ser criado por seres humanos. Quando tinha apenas 16 meses de idade, Ritt e cinco outros chimpanzés bebês foram enviados para o laboratório em Maryland, onde ele foi usado na pesquisa da vacina contra hepatite B. A razão para essa pesquisa é desconhecida, uma vez que a vacina contra hepatite já havia sido aprovada para uso em seres humanos em 1986. Ele morava sozinho e só conseguia ver e ouvir outros chimpanzés. Em 2000, Ritt foi enviado para outro laboratório no Texas. Em 2003, Ritt foi devolvido a Alamogordo, Novo México – mas agora estava sob os cuidados de Save the Chimps, que havia assumido a Fundação Coulston em 2002. Levou vários anos para socializar Ritt em uma família de chimpanzés, mas, em 2008 , Ritt fez sua última viagem. Desta vez ele estava indo para o paraíso, uma ilha de três acres no sul da Flórida, onde ele poderia correr e socializar.

Ritt amava sua família e poderia ser descrito como um indivíduo inocente e sincero. Ele era alegre e sempre parecia estar curtindo a vida, se estava interagindo com outros chimpanzés, saindo sozinho ou brincando com os cuidadores. Embora Ritt fosse sempre amável, a política e o domínio são naturais nas sociedades dos chimpanzés. Quando jovem, forte, desenvolveu uma rivalidade com o macho alfa, Luke. Eles às vezes desafiavam um ao outro, com ambos tendo alianças dentro do grupo que agiam em sua defesa.

Ritt recentemente precisou se submeter a anestesia para um procedimento simples. Infelizmente, não sabíamos que ele tinha uma doença cardíaca significativa. Para nossa profunda tristeza, ele não se recuperou da anestesia. A doença cardíaca assintomática é muito comum em chimpanzés machos cativos com mais de 20 anos. Para enfrentar esse desafio contínuo, continuamos a trabalhar em estreita colaboração com o Great Ape Heart Project, um consórcio de veterinários e outros especialistas no campo do cuidado dos grandes primatas que estão trabalhando para entender melhor as mortalidades cardiovasculares em zoológicos e santuários em todo o mundo. visando diminuir sua incidência. Estamos esperançosos de que os dados que fornecemos ao Projeto Great Ape Heart – incluindo resultados de ECG e exame físico de nossos próprios residentes – ajudem a aumentar o tempo e a qualidade de vida de muitos chimpanzés, que também podem ser vulneráveis ​​a doenças cardíacas.

No dia em que Ritt faleceu, sua família pôde ver seu corpo e chorar. Isso faz parte do ritual de passagem realizado para cada chimpanzé amado que perdemos. Luke, rival de longa data de Ritt, ficou profundamente perturbado com a perda. Ele gritou e buscou segurança de seus cuidadores e colegas chimpanzés durante todo o tempo em que a família viu o corpo. Para nós, esse foi um lembrete de que há mais nos relacionamentos com chimpanzés do que o que se vê nos conflitos. Eles eram mais que rivais – eles também eram família. Toda a família de Ritt se juntou a Luke em sua dor.

Descanse em paz, Ritt. Sentiremos sua falta sempre.

Saiba mais e doe em sua memória: https://salsa4.salsalabs.com/o/50957/p/salsa/donation/common/public/?donate_page_KEY=7995&killorg=True