Notícias

Os primeiros 20 dias de Cecília

Postado em 25/04/2017


Cecilia no santuário (GAP Project)

A chimpanzé Cecília, de 20 anos, chegou no dia 5 de abril ao Santuário de Grandes Primatas de Sorocaba, São Paulo, afiliado ao Projeto GAP, depois de dois dias de uma viagem que começou em Mendoza, na Argentina, onde vivia sozinha em uma jaula de cimento no zoológico da cidade e exposta ao público.

A história de Cecília seria mais uma de um grande primata resgatado de situação de maus tratos e levado para um santuário para viver com seus iguais, não fosse o marco que sua transferência representa: ela foi a primeira chimpanzé do mundo a ser libertada de uma situação inadequada de cativeiro pelo recurso legal do Habeas Corpus, um instrumento até então usado apenas para pessoas humanas. Cecília é a primeira pessoa não humana a ter a chance de usufruir o direito de liberdade em um santuário. E esta conquista foi comemorada mundialmente.

Pablo Buompadre, presidente da “Associação dos Advogados e Profissionais pelos direitos dos animais (AFADA), organização da Argentina que conduziu o processo do Habeas Corpus, diz que o caso de Cecília colocou abaixo o muro que existia entre as leis dos humanos e não-humanos, que definia animais como não detentores de direitos.

“A Juíza Alejandra Mauricio demonstrou com esta decisão valente e corajosa que a interpretação da lei é dinâmica, não estática, que deve se adaptar às mudanças sociais do desenvolvimento histórico, uma vez que não é uma questão de dar direitos dos animais possuídos por seres humanos, mas de aceitar e entender, de uma vez por todas, que eles são seres sencientes vivos, que são sujeitos de direitos”, aponta Pablo, que irá ao santuário brasileiro no próximo dia 29 para ver Cecília em sua nova casa.

Hoje, 20 dias após sua chegada ao santuário, Cecília felizmente está muito bem. Aos poucos vai se adaptando a nova vida, que significa pisar na grama, ter espaço para correr, ter a oportunidade de conviver com outros chimpanzés e não ser obrigada a ficar exposta como um objeto de visitação e entretenimento.

“A equipe do santuário tem que ter muita atenção e paciência, porque ela viveu toda a sua vida numa gaiola de concreto, a poucos metros do público e a realidade que ela vivenciou é muito limitada. Ela tem medo do barulho de motores e tratores, por exemplo, e tem medo de ser levada de volta para o seu velho cativeiro”, explica Dr. Pedro Ynterian, secretário geral do Projeto GAP Internacional e proprietário do Santuário de Sorocaba. “Agora, nos primeiros dias, nós queremos que ela conheça e passe a confiar nos humanos do santuário – as veterinárias e tratadores – e também estamos enriquecendo sua alimentação com mais itens proteicos.”

Jaqueline B. Ramos

Gerente de Comunicação Projeto GAP Brasil/Internacional

Confira imagens da transferência dos primeiros dias de Cecília no santuário:




+ Notícias

Em uma operação extraordinária para devolvê-los à natureza, três gorilas-ocidental-das-terras-baixas (western lowland gorillas), espécie criticamente ameaçada, voaram para os céus [...]

11/12/2017

O trabalho do Santuário de Grandes Primatas de Sorocaba/São Paulo, afiliado ao Projeto GAP, é destaque da última edição do [...]

10/12/2017

Por Jaqueline B. Ramos * Assistindo uma série de TV sobre advogados recentemente, me surpreendi com a encenação de um [...]

07/12/2017

No final dos anos 70, um drama político de que poucos se inteiraram se desenrolou na Holanda. Yeroom era líder [...]

04/12/2017

Caninos têm mais do que o dobro de neurônios do que os felinos, diz pesquisadora brasileira Suzana Herculano-Houzel RIO – [...]

02/12/2017

A seleção natural é implacável e envolve maturidade sexual e sobrevivência da espécie A avalanche de casos de homens idosos [...]

02/12/2017

Martín, Sasha e Kangoo vivem em condições precárias; o ex-zoológico diz que a transferência é perigosa para os animais A [...]

01/12/2017

O Projeto GAP Internacional denuncia a situação de maltrato e abandono na qual se encontram os animais do zoológico Monkey [...]

28/11/2017

Duas das mais velhas chimpanzés vivendo em cativeiro no mundo morreram neste mês. No dia 15 de novembro, Little Mama, [...]

24/11/2017

Da PASA (Aliança de Santuários Africanos) Suena, chimpanzé batizado com o nome do “santuário” degradado em que morava, ficou trancado [...]

16/11/2017