Notícias

Fotógrafo expõe a realidade oculta de animais mantidos em zoo na Tailândia

Postado em 11/04/2018


Animal explorado no zoológico Safari World (Foto: Aaron Gekoski)

GANÂNCIA HUMANA
Fotógrafo britânico expõe a realidade cruel em que vivem os animais em zoológicos de Pata e Phuket, na Tailândia.

11/04/2018 às 06:40
Por Stefany da Costa, ANDA

Dezenas de animais silvestres foram registrados vivendo em condições desumanas em zoológicos na Tailândia. Os animais vivem em gaiolas apenas para serem exibidos para turistas. Os orangotangos são mostrados sendo forçados a lutar em ringues de boxe com luvas amarradas às mãos, um elefante faz truques em um palco de pedra e depois são trancados com os outros em condições cruéis.

O fotojornalista ambiental, Aaron Gekoski, testemunhou os shows em uma excursão pelos zoológicos do país e agora está fazendo campanha por mais restrições sobre o setor. O zoológico Safari World, próximo à capital Bangkok, na Tailândia, organizou as lutas de boxe do orangotango para que multidões de turistas vissem os animais batalharem no ringue.

Os animais são ridicularizados e usam luvas e shorts enquanto os macacos femininos são vestidos como garotas de biquínis e minissaias. Os animais são forçados por seus manipuladores a realizarems uma série de acrobacias no palco antes do início da luta.

Aaron, de 37 anos disse: “Os orangotangos são forçados a rotinas de pantomima hediondas. Por alguma razão, as pessoas achavam engraçado ver esses animais bonitos, inteligentes e conscientes com suas calças abaixadas ou fingindo lutar uns contra os outros. Os orangotangos não estão fazendo isso porque querem, eles estão fazendo isso porque são forçados. Fico a imaginar como esses animais foram treinados para se comportarem assim.”

A exploração não acaba, no site do zoológico é possível encontrar um anúncio sobre a atração desumana: “Quem poderia perder o primeiro e único show de boxe do orangotango do mundo .. estrelando os mais engraçados e peludos campeões das Olimpíadas? Seja pendurado de cabeça para baixo ou de lado, não se esqueça de sair com os orangotangos do Safari World.”

Gekoski tem documentado a indústria de turismo de vida selvagem da Tailândia e afirma que mais de meio milhão de animais em todo o mundo podem ser submetidos a abusos horríveis para entretenimento humano. Ele também testemunhou o aparente abuso de animais no zoológico de Pata e no zoológico de Phuket, ambos no mesmo país.

Aaron acrescentou: “O que eu testemunhei foi chocante e incrivelmente angustiante. Realmente era uma casa de vida selvagem de horrores. Poses para uma selfie com um tigre, pessoas montando nas costas de um elefante, shows de golfinhos: mais de 100 milhões visitam atrações cruéis de turismo da vida selvagem a cada ano. No entanto, por trás dos shows e performances, existe um lado obscuro da indústria. Vimos orangotangos grosseiramente acima do peso ou abaixo do peso mantidos em pequenas gaiolas ou forçados a se apertarem uns nos outros. Um gorila vivia em uma cela imunda no topo de um shopping center, elefantes drogados e algemados a correntes durante a noite depois “dançar” ou jogar futebol o dia todo e tigres ficavam presos em gaiolas minúsculas para que eles mal pudessem se mover. Os macacos estavam vestidos, puxados por cordas para andarem de bicicleta”.

“Muitos animais são espancados e maltratados e têm seus ossos quebrados por manipuladores, tornando-os completamente submissos. No entanto, a maioria dos turistas não está ciente do abuso que ocorre ou da má qualidade de vida de muitos animais cativos. Um objetivo de longo prazo é criar uma plataforma global para que os turistas possam ‘levantar a bandeira vermelha’ para operadoras abusivas postando fotos, vídeos e análises. No momento, é difícil obter informações confiáveis ​​on-line e pesquisas mostram que 80% dos visitantes deixam comentários positivos em locais que tratam animais com crueldade. A mudança é possível quando as pessoas votam com os pés e não visitam esses lugares”, acrescentou.

Grupos de defesa dos direitos animais lutam contra a exploração desses animais. Chris Draper, diretor da organização Born Free Foundation, disse: “Essas imagens retratam o uso explorador e totalmente desrespeitoso dos animais selvagens, sendo forçados a entreter os mal informados e desatentos”.

A organização também defensora dos direitos animais, Wildlife Friends Foundation Thailand, afirma que tem lutado contra a indústria do país há 17 anos. “A Tailândia tem inúmeros zoológicos e outras atrações que claramente exploram tanto animais selvagens quanto domésticos”, finalizou.

Fonte:

Fotógrafo expõe a realidade oculta de animais mantidos em zoo na Tailândia