Notícias

Em memória de Beth

Postado em 31/12/2018


Beth 1984-2018 (Save the Chimps)

Do Santuário Save the Chimps

Estamos profundamente tristes em anunciar a morte de Beth, uma chimpanzé meiga e gentil que vivia na família de Rufus no Save the Chimps e faleceu devido a complicações de doenças cardíacas. Beth era um chimpanzé surpreendentemente bonito, com olhos distintos e um rosto suave e escuro. Ela era calorosa e extrovertida para todos, chimpanzés e humanos. Seu coração gentil fazia com que Beth agradasse a todos que a conheciam.

Beth nasceu em 3 de março de 1984 na Base da Força Aérea Holloman, perto de Alamogordo, Novo México; sua mãe era Mary e seu pai, Doug. Mary foi autorizada a cuidar dela por apenas dois dias antes de Beth ser retirada e levada para o berçário de laboratório para ser criada por humanos. Ela começou a receber biópsias hepáticas a partir dos 5 meses de idade e foi colocada em seu primeiro estudo de pesquisa aos 18 meses. Quando ela tinha 11 anos, entrou no programa de criação do laboratório. O primeiro chimpanzé com quem ela se acasalou foi seu próprio pai, Doug, porque o laboratório não conseguiu verificar sua paternidade. Ela morou com Doug por três semanas antes de se separarem, e foi apresentada a um macho chamado Sampson. Logo depois, ela foi confirmada para estar grávida. Beth deu à luz dois bebês que agora são residentes de Save the Chimps – Delilah e Walden.

Em 1997, a custódia de Beth foi transferida da Força Aérea dos EUA para a Fundação Coulston, um laboratório de pesquisa em Alamogordo, NM, com uma longa história de violação da Lei de Bem-Estar Animal. Em setembro de 2002, o Save the Chimps resgatou 266 chimpanzés que viviam em Coulston, incluindo Beth. Apesar de tudo o que ela passou, Beth imediatamente nos surpreendeu como um chimpanzé gentil e amoroso que recebia calorosamente seus novos cuidadores a cada manhã. Beth então se juntou ao maior grupo de chimpanzés da Save the Chimps – a Rufus ‘Family. Juntamente com sua melhor amiga, Lauryl, Beth e os outros membros da Rufus ‘Family viajaram pelo país para sua nova casa em Save the Chimps, onde sentiram grama sob seus pés pela primeira vez. Beth passou o resto de sua vida vagando por seu extenso habitat na ilha e conhecendo o amor e o companheirismo de uma família de chimpanzés.

Beth tinha um fraquinho por jovens que duraram até a idade adulta. Quando a amiga de Beth, Lauryl, teve um bebê chamado Leo em 2007 devido a uma falha na vasectomia, Beth imediatamente se tornou uma maravilhosa tia para ele. Apesar das tendências problemáticas de Leo ao entrar em sua pré-adolescência, Beth sempre foi uma figura firme e amorosa em sua vida. Ela também tinha um vínculo profundo e maternal com Gerro e Spudnut, dois jovens do sexo masculino que cresceram conhecendo o afeto de Beth. Ela adorava ficar sozinha com qualquer um deles em qualquer oportunidade. Não importa se houve conflito, roubo de comida ou agitação em torno dela, os cuidadores descreveram Beth como sempre paciente e perdoadora. Beth também era muito calorosa e doce com seus cuidadores e gostava de passar tempo de qualidade com eles. Quando ela sentiu que não estava recebendo atenção suficiente de seus cuidadores, ela fazia um som único que soava como um cavalo ou um espirro alto. Depois de usar esse som especial para chamar a atenção, os cuidadores costumavam dizer “Saúde!”  e aceitavam seu convite para brincar. Ela também tinha um hábito cativante de dar aos seus cuidadores “presentes”. Isso é algo que observamos em muitos chimpanzés ao longo dos anos. Nossa coordenadora de bem-estar, Tracy, lembrou que Beth foi o primeiro chimpanzé que ela conheceu que lhe deu um presente. Beth gentilmente entregou a Tracy um saco de papel que ela encontrou em sua ilha. Cuidadora de longa data, Torrie lembra de Beth dando-lhe um presente no primeiro dia em que se conheceram – um feijão verde que ela não estava interessada em comer. Quando a saúde de Beth piorou antes de sua morte, outra cuidadora de longa data, Deanna, estava encorajando-a a comer e ficou satisfeita por Beth estar comendo “comida de macaco”, que é um biscoito nutricionalmente completo que muitos de nossos residentes adoram. Depois de comer por um tempo, Beth tinha dois pedaços restantes. Deanna falou baixinho para Beth, dizendo-lhe como estava feliz em vê-la comer. Beth olhou para ela por um momento e gentilmente deu a Deanna um dos dois biscoitos que ela havia deixado. Jamais nos esqueceremos de quão gentil e amorosa Beth poderia ser em face de qualquer situação. Embora sintamos muita falta de Beth, ficamos gratos em ver sua bondade viver através de seu filho Walden e de sua filha Dalila, e saber que lhe demos os muitos anos de paz, dignidade e companheirismo que ela tanto merecia. Descanse em paz, Beth. Sentiremos sua falta sempre.

Veja como apoiar o Save the Chimps Sanctuary: https://salsa4.salsalabs.com/o/50957/p/salsa/donation/common/public/?donate_page_KEY=7995&killorg=True