Notícias

Chimpanzés livres após 17 anos em uma gaiola

Postado em 12/07/2018


(PASA)

Da PASA (Aliança Pan-Africana de Santuários)

Você pode imaginar como deve ser a sensação de passar 17 anos em uma gaiola tão pequena que você nem consegue se levantar ou endireitar as pernas? É difícil para mim pensar. Mas para Utah e Mungo, isso era realidade.

Todos os dias, todas as horas agonizantes – esses chimpanzés inocentes e órfãos não podiam fazer mais do que agachar-se em uma gaiola de metal apertada e olhar para fora das grades da prisão.

Carentes de luz solar, comida nutritiva e um local para dormir, eles passaram milhares de dias balançando para frente e para trás em suas gaiolas.

Não sabemos como o dono do Utah e do Mungo os conseguiu. É provável que suas mães tenham sido massacradas diante de seus olhos quando eram bebês. Como eles eram muito pequenos para o abate, eles foram vendidos como animais de estimação.

Um dia, quando eles eram bebês de cerca de dois anos de idade, seu dono os forçou a entrar em gaiolas de metal separadas e ele nunca os deixou sair.

Nos 17 anos seguintes, eles permaneceram trancados naquelas células sombrias e claustrofóbicas. Eles logo ficaram grandes demais para caberem nas portas da gaiola, e ninguém se incomodou em tentar tirá-los. Seus ossos ficaram curvados e atrofiados, e seus músculos foram perdidos. Eles pensaram que nunca seriam libertados de seu pesadelo vivo.

Resgatados a tempo

Em uma reviravolta chocante do destino, as autoridades interceptaram revendedores em um aeroporto enquanto tentavam contrabandear Utah e Mungo para fora de Camarões.

Acredita-se que os traficantes planejaram levar os chimpanzés para a Ásia para vendê-los a zoológicos de beira de estrada ou como animais de estimação. Equipes de resgate ficaram horrorizadas quando viram a condição em que os chimpanzés estavam. Utah e Mungo foram levados para o Centro de Vida Selvagem de Limbe para iniciar o processo de cura. A equipe do Limbe trabalhou 24 horas por dia, 7 dias por semana, para ajudá-los a se recuperar do trauma.

Seus corpos, devastados por anos em gaiolas apertadas e sujas, precisavam de muito tempo para se recuperar. Anos de crueldade deixaram cicatrizes psicológicas e físicas profundas.

Com espaço para finalmente se esticar, Mungo timidamente começou a explorar o mundo ao seu redor e a reconstruir seus músculos. Ela começou a brincar e se relacionar com seu cuidador – mostrando a todos que ela não estava pronta para desistir! Utah ainda lutava, mas aos poucos começou a brincar com Mungo.

Salvando suas vidas

Por causa do incrível cuidado compassivo do Centro de Vida Selvagem de Limbe, Utah e Mungo poderiam ser transferidas para sua residência permanente, Sanaga-Yong Chimpanzee Rescue, onde eles podem viver cercados de floresta e se unir a outros chimpanzés.

Mungo está amando a liberdade e está rapidamente fazendo amigos em sua nova casa.

Mas parte meu coração dizer que Utah ainda está profundamente traumatizada com o inferno que ela sofreu.

Os funcionários da Sanaga-Yong estão fazendo tudo o que podem para ajudá-la a fazer amizade com os outros chimpanzés, para se sentir segura em espaços abertos e para superar sua dor.

Para doar e ajudar a fornecer o tratamento especializado para este tipo de recuperação complexa, você pode clicar aqui.
https://pasaprimates.org/donate-to-limbe/?utm_source=PASA+Supporters+-+Save+Endangered+Species&utm_campaign=33f1ee4b0b-UTAH_MUNGO_2018_07_05_11_25&utm_medium=email&utm_term=0_6e1feb7026-33f1ee4b0b-76515821&mc_cid=33f1ee4b0b&mc_eid=336a916264

Veja um vídeo do primeiro “play-date” de Utah e Mungo depois que elas foram resgatados!
https://www.youtube.com/watch?time_continue=1&v=-tvODtBu6yg